/ SolidWorks e as Dicas do Kastner: Calçados com o SolidWorks

Calçados com o SolidWorks

Postado por Guilherme Kastner Dia 21 de maio de 2010

Senhores,

Um colega de trabalho aqui na SKA pediu em conjunto com o seu cliente o espaço para divulgar o trabalho deles com o SolidWorks voltado para o desenvolvimento de Solados e calçados. Este mundo é muito conhecido pra muitos como natural para os concorrentes mas agora possuímos casos de sucesso e exemplos para trazer a vocês aqui no Blog.

Aplicação do SolidWorks na indústria calçadista

O modelamento de solados e sapatos de uma forma geral é muito complexo. Seja pelas curvas complexas gerada no cabedal do produto, até nos mínimos detalhes de costura que necessitam ser mostradas. Talvez por possuir na sua árvore de modelamento inicial tais dificuldades, nunca foi desenvolvido um trabalho para projetar sapatos e solados no Solidworks. Visto essas dificuldades apresentadas, a equipe técnica da SKA, juntamente com o apoio técnico na área de desenvolvimento de calçados do senhor Éder José Uggeri, resolveram abraçar a causa, e criar os primeiros calçados femininos totalmente desenvolvidos no Solidworks.

Nesse post, iremos mostrar algumas soluções apresentadas, tanto na área de modelamento de superfície complexa, quanto na criação dos mínimos detalhes dos modelos apresentados.

Quando nos referimos em criação de superfícies, vem a idéia de uma peça muito complexa, quase impossível de ser modelada. Mas na verdade, é uma das formas mais fáceis de trabalhar, dominando essa prática, qualquer peça pode ser feita, basta imaginar, que quando se utiliza essas ferramentas, estamos criando faces independentes uma das outras, com isso, geometrias curvas, ou até mesmo erros, ficam mais fáceis de serem administrados. Um exemplo clássico e fácil de explicar é de um cubo. Quando se utiliza os Recursos do SW, esse cubo já está com material na região interna, tem volume, massa, enfim, é um sólido. Já se fossemos fazer a mesma coisa nas superfícies, teríamos que fazer as seis faces separadas, para que no final possamos uni-las, e finalmente formar um sólido.

Em um modelamento de calçado, é feito totalmente em superfícies, e no final, geramos um modelo sólido, para que possa ser usinado, fazer analise em programas de elementos finitos e até mesmo imprimir em três dimensões, para ter o modelo real em mãos. Essa última característica muito utilizada pela indústria calçadista, para que o designer possa revisar e aprovar o desenvolvimento para mandar para produção.

Agora, se você olhar para baixo, provavelmente verá um tênis, um sapato, um chinelo, uma sandália, uma bota... Enfim, vários tipos de calçados. Comece a analisar de outra forma, se você precisa-se desenhar esse modelo. Veja que muitos fatores precisam ser vistos, altura do solado, encaixe perfeito do pé para que não machuque o calcanhar, o formato do cabedal (parte de cima do sapato) e não mencionamos os detalhes, de costuras, o símbolo da marca, rebaixos.

Para iniciar esse desenho, uma forma é passada para o modelista, a forma, nada mais é que o formato do pé, em madeira, indicando o posicionamento do pé no sapato. Imaginando que a altura do pé em uma sandália é diferente que em um sapato de salto, e para ter uma referência de pé, se utiliza a forma. No vídeo feito pelo Éder, isso fica bem visível pela forma na cor amarela.

Com a forma definida e um esboço de como será o produto final feita por um designer em papel e a mão, iniciamos o modelamento do cabedal. Várias curvas são criadas ao longo da forma, respeitando os limites e dando o formato do sapato. Esse procedimento é criado tanto na parte interna quanto na parte externa do cabedal, formando toda a estrutura de cima do calçado. Essa é a primeira parte, que dá uma idéia de como o calçado ficará no final. Um dos grandes problemas que se enfrentavam quando não se utilizava o SW, é a falta de edição dos modelos criados. Uma vez feito, não tinha como realizar edição, isso faz com que cada sapato seja feito quase que artesanalmente. Coisa que no SW é nativo, a edição pode ser feita a qualquer momento no projeto. E esse tempo de edição, é muito importante em um produto que mudar o formato é muito comum.

Todas as superfícies feitas precisam estar aparadas corretamente, para que nenhuma sobra resulte em uma falha na costura e formação do sólido. Depois de criado o corpo sólido do cabedal, o solado precisa ser feito. Claro que a geometria de um solado é muito orgânica, ou seja, não é padrão, é muito difícil um sapato ser igual um ao outro. Por isso infelizmente uma receita de bolo não tem como ser utilizada. Muitas vezes recursos de loft, varreduras, preenchimentos serão utilizados, a experiência ou muitos testes contam nessa hora. Detalhes de corte, arredondamentos e enfeites foram criados por último, depois de definidos todas as características básicas do modelo.

As figuras e o vídeo mostrado são exemplos reais dos primeiros modelos de sapato feito totalmente em Solidworks, uma idéia pioneira no Brasil, sendo os primeiros exemplos apresentados no país. Em relação à parte técnica, foi completamente aprovada por pessoas que trabalham todos os dias nesse mundo complexo e agora também começando a ser explorado pelo Solidworks no Brasil com a equipe da SKA.

Clog Renderizado 1

Clog Renderizado 2

solados 1

sapato 1

Abaixo, um depoimento de Éder José Uggeri, modelista de calçados, vasta experiência na criação de formas e modelamento de calçados, que nos ajudou a testar o Solidworks em condições reais de uso:

“Achei que seria mais difícil modelar no Solidworks. No início sem suporte técnico algum até falei que não daria, mas depois com o auxilio da SKA a conversa foi outra.

Tem um ambiente fácil de ser entendido e um render poderoso. Outra coisa que me chamou a atenção foi a qualidade das superfícies e filetes gerados nele.

Outro ponto interessante é a árvore de construção que agiliza bastante na hora de modificar o produto.

Acredito que na mão de um usuário experiente podem-se fazer ótimos trabalhos na área de design de produtos”.

Segue aqui abaixo o vídeo que o usuário criou e postou no You Tube.

Agradecimentos

imageAgradeço ao meu colega José Henrique Forneck por ter escrito este post que voçês estão lendo agora. Ele me passou uma foto para publicar aqui mas preferi procurar no perfil do Orkut dele.

E também pelo usuário que disponibilizou o vídeo que ele desenvolveu para que pudéssemos publicar algo diferente aqui no blog.

Espero que gostem do que leram.

Sds,
Kastner

Outros Comentários:

  1. Complexo!

    Nada complexo... Simples de se trabalhar uma vez que a ferramenta seja bem implementada com auxílio

    MUITO BOM ESTE POST KASTNER
    MUITO BOA ESSA INICIATIVA PARA QUE OS USUÁRIOS DO SOLIDWORKS DIVULGUEM SEU TRABALHO.
    É UM MUNDO QUASE QUE TOTALMENTE NOVO PRA QUEM SÓ TRABALHA COM SÓLIDOS.

    Leandro,

    Eu posso abrir espaço para que todos os leitores do Brasil e do mundo possam divuldar os seus trabalhos.

    Acho que seria uma coisa muito diferente...

    Sds,
    Kastner

    ÓTIMO TRABALHO...
    Deve dar um trabalho "danado"...mas o resultado ta ótimo.

    PARABÉNS

    Foi tranquilo.

    Existe um método que foi desenvolvido e os guris apenas seguem ele. Agora, quem necessitar disso encontrará um conhecimento desenvolvido.

    Sds,
    Kastner

    Kastner

    Realmente não é um bicho de sete cabeças modelar um calçado.
    Acompanhei o modelamento do calçado masculino (olympikus). Mostramos que o SW faz, e faz bem o modelo. alem de gerar uma peça sólida possibilitando a simulação de injeção posterior, com o SIMPOE.

    Acredito que a parte mais dificil do projeto foi deixar de lado o conceito mecanico (tolerancias, milimetros, tangencias,...) e adotar uma visão de produto e estética.

    Grande Post...

    Este comentário foi removido pelo autor.

    Este trabalho é a prova de que "a união faz a força"!!!
    Digo isso porque quando o Éder tentou usar o SolidWorks sozinho, não conseguiu fazer muita coisa, assim como quando o Forneck tentou modelar sem o conhecimento da área calçadista também não foi muito longe. Porém, no final quando os dois trabalharam juntos trocando e somando conhecimento ambos tiveram SUCESSO nos resultados.
    Parabéns pelo excelente trabalho!!!

© Copyright SolidWorks e as Dicas do Kastner | Design por Paulo Estevão