/ SolidWorks e as Dicas do Kastner: Entrevista com Bertrand Sicot

Entrevista com Bertrand Sicot

Postado por Guilherme Kastner Dia 3 de fevereiro de 2010

Senhores,

Este humilde blogueiro teve agora a pouco uma entrevista com Bertrand Sicot, vice-presidente de vendas da Dassault SolidWorks, com os jornalistas brasileiros vou descrever aqui abaixo os assuntos sobre os quais conversamos brevemente.

DSCN0390

Vou descrever como tudo ocorreu

Introdução

Enquanto todos os jornalistas chegavam o entrevistado se mostrou receptivo com os jornalistas que o cercavam sedentos por respostas e questionamentos sobre o futuro da corporação SolidWorks. Ele com seu inglês com sotaque de francês começou falando da seleção francesa de futebol e que não ficou orgulhoso de como foi conquistada a classificação sobre a irlanda.

Sobre os rumos da SolidWorks

Inicialmente foi falado de como serão os rumos da SolidWorks, o planejamento de desenvolvimento e lançamento de ferramentas. A SolidWorks planeja tudo em dois momentos longo e curto prazo.

Atualmente estão preocupados em entregar ferramentas que auxiliem o projeto dos usuários. Atualmente a SolidWorks pensa em simulações como sendo algo importantíssimo para os usuários e desenvolver ferramentas para que eles possam prever as mais diversas situações em projetos.

Sobre o mercado brasileiro

A SolidWorks realmente vê o mercado brasileiro com bons olhos. Bertrand está atento a nossa indústria, economia e situação política. A SolidWorks vê potencial para a nossa indústria de Base e para a nossa indústria de máquinas. O Brasil está crescendo, os números tem que aparecer para a SolidWorks… A corporação vê um grande potencial para toda a américa latina nos mostrar resultados.

O resto do mundo

Foi passado um panorama do mundo falando em economia. Os Estados Unidos estão novamente aquecidos como compradores e economia, Europa ainda não mas o Japão sim.

Aquisições

Conversamos sobre a ida da Dassault as compras nos últimos anos. Como foi discutido, a Dassault Systemes fez várias compras nos últimos 12 anos onde enxergou uma possibilidade de crescimento, a começar pela SolidWorks… Olhem a lista abaixo

  • SolidWorks
  • Enovia
  • Smarteam
  • 3dvia
  • Simulia

Onde existia uma possibilidade de crescimento a SolidWorks entrava como achava conveniente investindo. Isso está relativamente simples para uma empresa europeia uma vez que o Euro é uma moeda que está valorizada. Esse último ano a Dassault Systemes comprou IBM PLM que era a responsável pela comercialização do CATIA. Agora a Dassault pode ser controlar a comercialização das suas soluções e buscar novos canais de venda dor produtos.

Sobre computação na nuvem

Muito foi conversado sobre computação na nuvem, risadas e questionamentos vieram a tona, como segurança, disponibilidade do serviço, receptividade das empresas.

Bertrand confessou que a definição de como que será feita a infraestrutura ainda não foi definido. Não se sabe se será via Outsourcing ou com hardware próprio. Teremos de esperar pra ver. Quando falamos em infraestrutura, Bertrand confessou que não se sente a vontade de publicar fotos de seus filhos na nuvem se não tiver certeza da segurança de seus arquivos. A SolidWorks terá de fazer um trabalho com seriedade para que o cliente se sinta a vontade para gerenciar os seus arquivos.

Quando foi questionado o lançamento da nova tecnologia, foi deixado claro que o que foi demonstrado na segunda deverá ir ao mercado em alguns anos, aproximadamente 5 anos.

Uma coisa que todos questionaram, as revendas não serão extintas com a nova política de software. As revendas atualmente são conhecidas como VAR,Value added resseler ou melhor, revenda de valor agregado e as mesmas serão responsáveis pela venda do serviço de software e também pela transmissão do conhecimento aos usuários em como aplicar a tecnologia e no primeiro contato com o cliente

Interação do grupo Dassault Systemes

Quando questionamos ao entrevistado como funciona a relação SolidWorks com a Dassault e como isso está mudando internamente na organização, Bertrand solicitou a Orcar Siqueira, CEO da SolidWorks Brasil, um caderno para que o mesmo pudesse ilustrar a situação. Esse foi o momento de maior descontração durante a entrevista...

Bertrand Mostrou os canais de desenvolvimento, venda e clientes e mostrou que futuramente a SolidWorks poderá utilizar conhecimentos de outros produtos do grupo para que o software possa usufruir de conhecimento existente para uma chegada mais rápida ao mercado da funcionalidade e aproveitar o conhecimento existente na corporação para crescimento. Quando o questionamos se isso seria integrar os grupos de desenvolvimento, isso foi negado.

A ilustração foi bem prática mas Bertrand pediu que Oscar Siqueira guardasse o desenho longe de nós para que não fosse parar em nossas mãos. Senhores, eu gravei em vídeo a situação cômica, talvez eu a publique aqui no Blog para vocês,

Números da SolidWorks

Sobre os resultados da SolidWorks, posso explicar dessa forma. Para a SolidWorks 2009 foi um ano que acabou dessa forma em quantidade de cópias vendidas

  • SolidWorks – Vendas cairam levemente
  • Simulation – Vendas Estável
  • 3DVIA – Aumentaram
  • Enterprise PDM – Aumentaram

Os números do brasil serão discutidos amanhã com o Oscar Siqueira.

Mas o que Bertrand adimitiu é que espera um crescimento mundial em vendas da SolidWorks em 2010 de 15 a 20% mas isso irá variar conforme a economira irá reagir ainda na volta da crise. Para o Brasil, Oscar Siqueira irá receber uma meta maior de crescimento… Acabamos todos rindo da situação mas Bertrand disse que realmente acredita no Brasil e acha que poderemos ter bons resultados por aqui.

Pirataria

Pirataria existe em tudo quanto é lugar segundo Bertrand. O que é necessário é uma conciência feita por leis mas a SolidWorks está trabalhando no problema conforme é possível. O Brasil não é o caso mais crítico, china é.

Brincadeira do Bernard

Bernard, CEO da Dassaul Systemes fez uma brincadeira comparando a AutoDesk com a sua companhia

Ao contrário da Autodesk não pensamos que o mundo é plano

Todos querísmos saber se isso era uma piada ou uma aberta política de guerra. Bertrand disse que era apenas uma brincadeira comparando os avanços tecnologicos em 3D e vendo que a AutoDesk ainda permanece com o AutoCad como seu produto principal. Nada de guerra e nada relacionado a disputa judicial entre as corporações por conta da marca DWG.

Encerramento

Tudo se encerrou tranquilamente… Bertrand foi um cavalheiro do início ao fim da entrevista. Só sou agradecimento pela oportunidade de conversar com ele. Eu já tinha visto ele na SKA outras vezes mas nunca tinha falado com ele tanto tempo.

Existiram outros assuntos mas paramos por aí…

Sds,
Kastner

Outros Comentários:

Nenhum comentário

© Copyright SolidWorks e as Dicas do Kastner | Design por Paulo Estevão