/ SolidWorks e as Dicas do Kastner: Salvando Arquivos – Parte 2 – Arquivos Repetidos

Salvando Arquivos – Parte 2 – Arquivos Repetidos

Postado por Guilherme Kastner Dia 4 de agosto de 2009

image Senhores,

Ontem escrevi sobre a codificação de arquivos. Hoje sobre localização de arquivos na abertura de documentos referidos em montagens e desenhos.

Para quem não trabalha em uma empresa com um sistema de codificação isso acaba sendo algo relativamente complexo. Mas mesmo assim deveremos adotar uma rotina de policiamento para tornar o nome dos arquivos únicos.

Observem algumas coisas, eu posso possuir duas montagens distintas com componentes denominados “parafuso.sldprt”. Cada componente parafuso poderá estar no diretório de armazenamento da sua respectiva montagem. Mas quem garante que no momento em que eu abrir um arquivo de conjunto vou abrir o arquivo armazenado no diretório correto?

O SolidWorks verifica as seguintes informações para abrir os arquivos

  • Verifica se o arquivo já não está carregado na memória
  • Verifica se o arquivo não está nos diretórios apontados nos diretórios apontados nos campos de documentos referidos. (Ferramentas—> Opções –> Opções do Sistema –> Locais de arquivos —> Documentos Referidos)

Os itens citados acima são os primeiros a serem utilizados na pesquisa de arquivos referidos em montagens. E os arquivos são pesquisados na ordem em que foram listados os critérios. Portanto, vamos aos fatos… Possuo duas montagens

  • Extrator
  • Morsa

Cada montagem possui a sua pasta com o seu respectivo arquivo “Parafuso.sldprt”. Mas por eventualidade, resolvi abrir o arquivo parafuso do conjunto Extrator e posteriormente abrir a montagem da morsa. O que aconteceu???? A morsa foi aberta com o componente do Extrator. Portanto nomear os arquivos com nomes únicos facilita o gerenciamento dos arquivos de conjuntos e desenhos.

Lembro que existem outros critérios de pesquisa de arquivos para documentos referidos

  • Mesmo diretório de armazenamento do documento PAI
  • Locais recentemente utilizados na abertura de arquivos
  • Localização por referenciamento de arquivos de forma relativa ao arquivo PAI
  • Caminho absoluto onde estava armazenado o documento quando inserido no arquivo que possui as referências.

Bem… que lição poderemos tirar disso? É melhor dar nomes únicos aos arquivos e evitar surpresas desagradáveis na abertura dos documentos referidos.

Sds,
Kastner

Outros Comentários:

  1. Veio discordo em parte do seu comentario, trabalhei dois anos com parametrização de produto.

    A melhor forma e sempre se tentar trabalhar com configuraões para peças semelhantes no caso o parafuso, pois so existiria um arquivo parafuso e voce selecionaria a configuração necessária.

    Sempre vai ter um que ao ler isso ira me xingar e dizer que o arquivo vai ficar mais pesado e vai ocupar mais espaço no servidor, para esses eu sempre digo façam um teste dois arquivos diferentes ocupam "x" espaço no servidor um arquivo igual com duas configurações ocupa menos espaço devido ao os planos e outra informações da peça ser comun ao mesmo.

    Outra que com isso minimiza um abobado trocar o plano do parafuso ou remodelar o mesmo e na hora de substituir o componente na montagem dar problema.

    Beleza...

    Mas configurações não são suportadas por todos os softwares de gerenciamento de arquivos. Nem todos os usuários conseguirão localizar o arquivo de proketo de uma determinada peça sem ter um recurso de pesquisa adequado baseado nas propriedades de configurações.

    Concordo que configurações de arquivos são uma ótima ferramenta de parametrização mas quando as peças são muito similares. Mas recomendo que isto seja aplicado somente em itens de biblioteca e não em desenvolvimento de produto.

    Lembro que isso é um pensamento meu... Não é uma opinião oficial de qualquer empresa.

    Devo escrever mais sobre o assunto em breve.

    Sds,
    Kastner

    Oi, estou passando pra conhecer seu blog, e desejar boa tarde
    bjsss

    aguardo sua visita :)

© Copyright SolidWorks e as Dicas do Kastner | Design por Paulo Estevão